Casamento DEK

O Início, o meio e o daqui em diante.
Browsing category: Cinema, Dia-a-Dia, Ela
0 comments

Audrey Hepburn no Cinema

Que eu sou fã de cinema todo mundo sabe. E o cinemark tá fazendo a felicidade de qualquer cinéfilo promovendo sessões de filmes antigos. Foi por isso que tive a oportunidade de ver minha querida Audrey Hepburn no cinema. Gente, nunca imaginei que veria Bonequinha de Luxo na telona. Foi lindo, foi emocionante. E eu fiquei igual uma boba tirando foto. Eu precisava registrar aquele momento. Ver a Audrey cantando Moon River, dizendo: “I’m crazy about Tiffany’s” e gritando: “Cat, cat”. Tão linda. Tão sensacional.

Fiquei encantada e quero mais. E se você, como eu, ama um filme clássico se liga porque o cinemark continua com algumas sessões de filmes mais antigos. Cada semana é um filme diferente. Já passou Grease, Bonequinha de luxo, Pulp Fiction, Laranja Mecânica, Táxi Driver e Os Embalos de sábado à noite. Vou deixar abaixo os próximos, inclusive essa semana tem O Poderoso Chefão.

“O Poderoso Chefão” dias 19, 20 e 23 de julho

“Forrest Gump – O Contador de Histórias” dias 26, 27 e 30 de julho

“Império do Sol ” dias 2, 3 e 6 de agosto

“História Sem Fim ” dias 9, 10 e 13 de agosto

“Quanto Mais Quente Melhor” dias 16, 17 e 20 de agosto (PRECISO ver Marilyn na telona também)

Lawrence da Arábia” dias 23, 24 e 27 de agosto

audrey-hepburn

audrey-bonequinha-de-luxo

audrey-hepburn-breakfast
audrey-moon-river

moon-river-bonequinha-de-luxo

audrey-cantando

 

filme-bonequinha-de-luxo

audrey-cinema

audrey-hepburn-1

holly-cat

holly-audrey-hepburn

holly-paul

beijo-bonequinha-de-luxo

0 comments

Dia de Meninas – A Culpa é das Estrelas

Quando o livro ” A Culpa é das Estrelas” se tornou fenômeno de vendas eu já sabia que não leria. Pensei que a obra de John Green seria mais um romance a la Nicholas Sparks, cheio de drama e lágrimas. Mas depois de ver o trailer do filme, eu que não dispenso um cinema, me peguei baixando um pdf do livro para ter uma ideia de o que ia encontrar pela frente. Na segunda passada eu e minha amiga Julia fomos lá conferir. Em uma sala cheia de adolescentes, nos sentimos e acho que éramos, as mais velhas do recinto, foi uma experiência interessante.

Mas vamos ao filme. Eu tinha lido quase 100 páginas dele no domingo, então sabia como começava e até onde ia uma certa parte, mas não sabia qual era o fim. Achei o filme muito, mas muito mesmo, fiel ao livro. Coisa difícil de se fazer e de se conseguir  com um roteiro. Façanha realizada pela dupla do também delicioso “500 dias com ela”  Scott Neustadter e Michael H. Weber que  subverteram a categoria “romance adolescente”. O filme chega a lembrar  “500 dias com com Ela”, pelos recursos visuais das mensagens de texto que aparecem na tela e a trilha sonora fofa e de bom gosto. O diretor que conseguiu dar leveza ao filme e humor ao filme mesmo se tratando de um casal com câncer, foi  Josh Boone. Palmas para ele também. E palmas para o time de atores sensacional. A mãe de Hazel vivida por Laura Dern e o escritor favorito da garota interpretado por Willem Dafoe arrasam. E o casal Hazel Grace e Augustus Waters que foram brilhantemente interpretados por Shailene Woodley e Ansel Elgort conseguiu dar o peso certo para os personagens, fugindo da tragédia anunciada da temática do livro/filme. O casal gera empatia com o público. E a declaração de amor de Augustus pra Hazel, gente, o olhar do garoto brilhava tanto e o sorriso bobo de apaixonado me pareceu tão real, que por um segundo eu esqueci que era só interpretação.

Então não preciso nem dizer que recomendo que assistam né? E embora o filme tenha me levado às lágrimas diversas vezes, não saí triste do cinema, porque A Culpa das Estrelas não é um filme triste. É um filme verossímil, capaz de fazer refletir sobre a vida, relacionamentos e o que realmente importa. É muito mais que um filme sobre amor entre adolescentes. É sobre família, amizade, o outro. E sim, é um filme fofo, mas um fofo bem construído, roteirizado, dirigido e com boas atuações. =)

TFIOSstill8-828x1024

ansel-elgort-shailene-woodley-tfios-stills-02

a-culpa-e-das-estrelas-filme-

aculpaédasestrelasfeaturette

A Fault In Our Stars

A Culpa é das Estrelas (20)

 

0 comments

Um filme apaixonante – Questão de Tempo

A gente sempre fala que ama cinema. A decoração do nosso casamento teve essa inspiração e conceito, e esses dias percebi que tinha tudo a ver então falarmos mais sobre o tema no blog, por isso criamos a categoria cinema.

E, para abri-la vou começar com um filme lindo demais, e com um roteiro incrível. Do mesmo diretor do também apaixonante Simplesmente Amor, “Questão de Tempo” (About Time no original) vai falar claro, sobre tempo. É uma ficção científica/romance, sobre viagem no tempo, que como toda boa narrativa sobre o tema, possui regras que não podem ser quebradas ou mudarão o destino para sempre.

A história começa quando o pai (Bill Nighy) de Tim ( o simpático inglês Domhnall Gleeson) conta para ele no seu aniversário de 21 anos que todos os homens maiores de idade de sua família tem o poder de viajar no tempo. Para fazê-lo é simples: entre num armário (“um lugar bem escuro também funciona“) e pense no exato momento do tempo para o qual você quer voltar e estará lá. O poder deles se restringe a voltar no passado, eles não conseguem ir para o futuro, e também só voltam para lugares onde estiveram, não dá pra ir para a segunda guerra mundial, por exemplo, se você nasceu em 1982.

Então, Tim passa a utilizar o “poder” para conquistar o que ele mais quer em sua vida, um grande amor. Após deixar o interior da Inglaterra a caminho de Londres, ele vive o dia-a-dia de um advogado na capital e conhece  Mary  vivida por Rachel McAdams, que está incrivelmente maravilhosa em seu segundo filme sobre viagem no tempo (não sei se já assistiram Te amarei para Sempre, que também recomendo). Entre idas e vindas no passado para consertar algo, o jovem quase perde o momento em que conheceu sua amada, mas acaba conseguindo o que quer. E o filme se desenrola assim, cheio de viagens, uma história romântica delícia e uma intensa amizade entre pai e filho e irmão e irmã.  Além disso, traz muita reflexão sobre ganhar e perder e escolhas da vida. Um filme genial e também leve e intenso ao mesmo tempo, se é que isso é possível. Super recomendo. Um ótimo programa para o fim de semana que está chegando.

Quem assistir ou já tiver assistido conta aqui pra gente 😉

ABOUT TIME

about-time-movie-450

filme questão de tempo

Questao de Tempo filme

questão de tempo filme

About Time