Casamento DEK

O Início, o meio e o daqui em diante.
0 comments

Roteiro de Viagem Santiago – Chile

Esse mês fizemos nossa primeira viagem para o Chile e vamos começar aqui uma série de postagens do nosso roteiro de viagem de Santiago e também da patagônia chilena. A verdade é que ficamos apaixonados pelo país mais cenógrafico que já vimos até agora. Cheio de  lagos, vulcões, geleiras, montanhas, vinícolas e uma metrópole incrível também.

Chegando de avião em Santiago o espetáculo já começa com a cordilheira dos Andes vista de cima. Ela também  pode ser vista de quase todas as partes da capital, uma lindeza que só não nos fez suspirar mais por causa da Fog, uma espécie de neblina de poluição que não nos deixa vê-la com tanta nitidez. Mas é emocionante olhar para essa cadeia de montanhas com mais de 4000 metros e que é tão presente na cidade toda.

Além disso, Santiago respira história. No nosso primeiro dia lá fizemos um passeio pelo Centro, que é cheio de museus, galerias de arte e monumentos históricos. Nossa primeira parada foi o bairro Paris-Londres, estávamos hospedados ali perto, e ficamos simplesmente apaixonados pelas charmosas ruas de ladrilhos e pela carga histórica do local. Grande parte da arquitetura data dos anos 20 e foi projetada por arquitetos europeus, daí o bairro parecer um cantinho da Europa. Mas infelizmente não é só o charme que marca esse bairro, a ditadura militar chilena também deixou marcas profundas ali, como em todo o país.  Há uma construção que fica no nº 38 da Calle Londres que serviu como base do Partido Socialista do Chile, mais conhecido como Cuartel Yucatán. No local muitos opositores ao regime militar de Pinochet foram torturados  e mortos . Acredita-se que mais de 90 prisioneiros foram torturados na casa e até hoje estão desaparecidos. Na frente da casa há ladrilhos com os nomes e a idade dos desaparecidos, e a casa é hoje um memorial contra a ditadura. Considero a visita a esse bairro imperdível para quem visita Santiago, pela história e pela beleza do bairro que rende lindas fotos.

Nossa próxima parada foi o Palácio de la Moneda, sede da presidência do Chile, mas que a princípio foi construído para ser a Casa da Moeda do país, quando ainda era uma colônia espanhola. Foi ali que Salvador Allende foi assassinado durante o golpe militar. É possível fazer visitas guiadas dentro do Palácio, que acontecem de segunda à sexta e você poderá escolher entre quatro horários diferentes: às 09h30 e 11h00 pela manhã e  às 15h00 e 16:h30 no período da tarde. Dia sim, dia não também acontece a troca de guarda na frente do palácio, sempre à 10h00 da manhã nos dias úteis e às 11h00 nos fins de semana. Em anexo há também o Centro Cultural La Moneda, com várias exposições legais e entrada é gratuita até meio-dia. Outro passeio imperdível em Santiago. Arquitetura linda, história rica.

De lá partimos para a Plaza das Armas, onde fica também a Catedral Metropolitana e o museu histórico Nacional. Foi ao redor da plaza das Armas que a cidade cresceu, ela é  o marco zero da capital chilena, ou seja, onde foi fundada a cidade de Santiago do Chile por Pedro de Valdívia em 1541. A Catedral é imponente, com uma arquitetura belíssima, e o museu histórico é interessantíssimo, principalmente para quem ama história como eu. Lá é possível acompanhar toda a história do país, desde a colonização, passando pela tenebrosa ditadura até os dias atuais. Há muitas maquetes e documentos históricos, pra mim mais uma visita imperdível.

Mas o que mais amei conhecer nesse primeiro dia, sem desmerecer tudo que já falei até aqui, foi o museu de Belas Artes. Uma arquitetura de tirar o fôlego e um acervo com mais de 3 mil itens, entre pinturas e esculturas de artistas chilenos e europeus.  O museu fica de frente para o Parque Florestal, um dos oásis que existem em meio à correria da capital chilena. Muito verde, muita sombra, muitos picnics. Uma delícia de lugar.

E para fechar nosso dia o Cerro Santa Lucía foi mais do que eu esperava. Que lugar maravilhoso gente. Também no meio da cidade, o cerro tem uma vista incrível da cidade e dos Andes, é super alto, tem uma fonte e escadarias que levam a um mirante localizado no topo e que proporciona um belo visual panorâmico da região central da cidade e claro da linda cordilheira dos Andes. Pegamos o início do pôr-do-sol, e a beleza era tanta que nem lembramos que estávamos super cansados de andar o dia todo. O Cerro Santa Lucía mora no meu coração, sério, se eu for a Santiago 10 vezes, visitarei ele em todas elas.

Foi assim nosso primeiro dia em Santiago, e posso dizer que fomos positivamente surpreendidos por essa cidade que  já amamos. A noite desse dia eu conto em outro post. Termino esse dizendo, visitem o Chile.

Leave A Comment